arquivo-site1
Recados

Entenda como é possível emagrecer e manter o peso nas Festas de Fim de Ano!

emagrecer-festas-natal

Chegaram as festas do final de ano e com elas, as comilanças. Durante a temporada de festas, tão preocupante quanto emagrecer é manter o peso. Para que você consiga preservar suas formas, sem passar os dias de festas contando calorias, confira dicas comportamentais simples que evitarão excessos alimentares e preservarão sua reeducação alimentar.

Leia Mais
Saúde e Bem estar

O exercício físico no câncer de próstata

O câncer (CA) de próstata é uma das formas mais comuns de CA entre os homens. As elevadas taxas de sobrevivência do paciente refletem melhorias na detecção precoce, através da triagem de antígeno específico da próstata (PSA) e nas modalidades de tratamento como a cirurgia (prostatectomia) e terapia de privação androgênica (ADT, do Inglês Androgen Deprivation Therapy) – estatísticas recentes indicam taxas de sobrevivência de até 76,5% aos cinco anos pós-diagnóstico.

Leia Mais
Recados

Outubro Rosa: Atividade física é um dos fatores para a prevenção do câncer de mama

outubro-rosa-destaque

Neste mês do Outubro Rosa, é importante divulgar algumas orientações sobre a prevenção do câncer de mama.Neste mês do Outubro Rosa, é importante divulgar algumas orientações sobre a prevenção do câncer de mama. A atividade física é uma grande aliada, mas não é a única. Confira outros hábitos que devem ser adotados juntos para garantir uma melhor prevenção

O Outubro Rosa é o mês mundial da conscientização sobre os cuidados da prevenção e tratamento do câncer de mama. Este câncer é um dos que mais atinge as mulheres, depois do de pele não melanoma. Segundo médicos especialistas, o câncer de mama é um tumor curável, em até 98% dos casos, se detectado na fase inicial, e o autoexame e a mamografia são os principais aliados no diagnóstico precoce.

Com a correria do dia a dia, as pessoas estão dando menos atenção à quantidade de exercícios físicos que o corpo necessita – e as consequências disso geram impactos diretos no aumento dos índices de casos de câncer. Estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que 80% dos casos de surgimento de tumores malignos estão relacionados ao nosso modo de vida, sendo o sedentarismo um dos principais protagonistas destas estatísticas.

Pesquisas científicas mostram também que o desenvolvimento de até 13 tipos tumores está relacionado a hábitos e atitudes de comportamento. Isso significa que com a adoção de medidas simples, é possível reduzir a incidência do câncer de mama. Dados do Instituto Americano de Pesquisas em Câncer (AICR) apontam que 33% de todos os casos de câncer de mama nos EUA poderiam ser evitados com mudanças simples no estilo de vida, ou seja, com alimentação adequada e atividade física frequente. São hábitos saudáveis, que toda pessoa pode adotar em sua rotina, resultando em mais disposição, bem-estar e reduzindo o risco de uma série de doenças cardiovasculares, diabetes, além do próprio câncer de mama. Por isso a importância do Outubro Rosa, para ajudar na conscientização da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama.

Confira alguns hábitos a serem adotados para contribuir na prevenção:

Procure um profissional de saúde
O autoexame é uma maneira importante de a mulher conhecer o próprio corpo e perceber possíveis alterações, mas, muitas vezes, o tumor não consegue ser percebido apenas pelo toque. Especialmente na fase inicial, é imprescindível a realização da mamografia para detecção da doença. Por isso, faça acompanhamento regular com um especialista, que irá avaliar clinicamente a paciente e fazer as prescrições de acordo com o seu perfil e necessidades.

Controle a alimentação
Uma dieta equilibrada evita o sobrepeso e melhora a qualidade de vida. Alimentos industrializados, enlatados e conservados contêm agentes cancerígenos na composição e devem ser evitados. É o caso das carnes processadas, defumadas, curadas ou salgadas e embutidos. Dê prioridade aos vegetais e coma pelo menos cinco porções ao dia de frutas, legumes e verduras. São alimentos ricos em vitaminas essenciais, sais minerais e fibras, além de substâncias antioxidantes que protegem contra a maioria dos tipos de câncer.

Não fume
O cigarro contém cerca de 4.720 substâncias tóxicas, que levam a uma série de doenças, entre elas, o câncer. O tabagismo é considerado a principal causa de morte evitável pela Organização Mundial da Saúde (OMS) – 4,9 milhões pessoas (mais de 10 mil por dia) morrem todos os anos em decorrência do cigarro – e estima-se que 30% de todos os casos de câncer são devido ao tabagismo. Por isso, não fume e proteja-se da fumaça do cigarro.

Evite o consumo de bebidas alcoólicas
De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o alcoolismo causa entre 2% e 4% das mortes por câncer, sendo um dos fatores de risco para o desenvolvimento de diversos tumores, incluindo o de mama, principalmente se o uso for combinado com o tabaco. Além do câncer, o consumo de álcool está associado a mais de 200 tipos de doenças, entre cardiovasculares, mentais e hepáticas. Reduzir a frequência do consumo pode diminuir as chances de desenvolver a doença, mas a escolha mais saudável é não beber ou evitar ao máximo a ingestão de bebidas alcoólicas.

Pratique atividade física
Vários estudos comprovam que manter-se ativo fisicamente pode tanto prevenir a doença quanto ajudar no tratamento, e diminui em cerca de 1/3 os riscos de desenvolver câncer de mama. De acordo com a a Sociedade Brasileira de Mastologia, a produção de estrogênio pelo tecido adiposo é um dos motivos: quanto mais gordura o corpo possui, mais desse hormônio será produzido. As células cancerígenas utilizam a substância como um combustível, já que ela atua nas células mamárias. Outro hormônio que aparece em algumas pesquisas relacionadas à prevenção do câncer de mama é a insulina, responsável por induzir a multiplicação de células. Por conta disso, uma vez que o câncer se inicia, ter altos níveis de insulina no sangue torna-se perigoso, e se exercitar pode diminuir a quantidade dessa substância que circula pelo corpo.

Mesmo depois do diagnóstico, a prática de atividades físicas é benéfica. Sabendo que durante o tratamento o ganho de peso do paciente é comum, um levantamento da Universidade da Carolina do Norte concluiu que isso eleva as taxas de mortalidade pelo câncer de mama. Depois da menopausa, os efeitos positivos são ainda mais claros, como apontam estudos feitos em Harvard e na França.

O recomendado é praticar no mínimo 30 minutos de exercício aeróbico, pelo menos três vezes na semana, ou de acordo com as suas necessidades. Os exercícios são considerados como um complemento dos tratamentos convencionais de quimioterapia, radioterapia, hormonioterapia ou cirurgia de retirada da mama. Embora a atividade física seja importante durante o tratamento de câncer de mama, é essencial que seja praticada respeitando as limitações da paciente. Por isso é importante procurar um profissional da área para pedir orientação na escolha da atividade física e acompanhamento para ter uma prática mais adequada.

Fonte: adaptado de Fundação do Câncer e Ativo

Leia Mais
Recados

Bill Gates está por trás de um negócio que promete incomodar a indústria da carne

impossible_meat_grande

Uma startup norte Americana promete revolucionar o consumo de carne no mundo com um hamburguer que tem gosto idêntico ao de carne de vaca, só que é inteiramente feito com plantas. Entenda.

Leia Mais
Saúde e Bem estar

Peito de peru é saudável? Não… Peito de Peru é um vilão na sua Dieta

Peito-de-peru-é-saudável-ou-Não

O peito de peru ganha preferência, muitas vezes, por apresentar menos calorias que a mortadela ou o presunto. Trata-se de um amigo falso, pois é mais um embutido rico de aditivos químicos. Isto é, pode parecer uma opção light, mas não deixa de causar danos a sua saúde, ainda mais se consumida diariamente.

Leia Mais
Saúde e Bem estar

Atividade física: necessidade diária para o bem-estar físico e mental

corredores

Estudiosos do passado já sabiam da importância sobre o cuidado diário a ser dispensado ao corpo, inclusive, uma expressão assinalada por Platão, previa mais do que isso, ao dizer que: “mens sana in corpore sano”, isto é, uma mente sã num corpo são. Essa predição ultrapassou as barreiras temporais e espaciais, ficando conhecida mundialmente.

Leia Mais
Recados

Hambúrguer de grão-de-bico

hamburguer-de-garo-de-bico-da-lucilia

Ele é rico em ferro, cálcio, proteínas e em vitaminas do complexo B.

Seu alto teor de fibras regula o intestino e proporciona uma sensação de saciedade.

E, embora traga no nome, trata-se de uma leguminosa – e não um grão.

Assim é o poderoso grão-de-bico.

Isso o torna ingrediente ideal para quem busca mudar a alimentação, com proteínas de fontes vegetais.

E o habilita para incorporar nutrição de qualidade em uma refeição funcional e leve.

Para diversificar seu consumo, que tal trazer o grão de bico para a hora do lanche?

Esta é a ideia por trás desta receita, que rende oito porções, com 90 Kcal cada.

Ingredientes
2 xícaras (chá) de grão-de-bico cozido e escorrido
2 xícaras (chá) de abobrinha ralada
1 xícara (chá) de cenoura ralada
1 pimenta jalapeño picada
¼ xícara (chá) de farinha de grão-de-bico
2 colheres (sopa) de molho sriracha
1 colher (chá) de cominho moído
1 colher (chá) de alho amassado
1 colher (chá) de sal
Spray de azeite (para untar)

Modo de preparo
Bata o grão-de-bico cozido até formar um purê.
Misture com os demais ingredientes em um bowl, até formar uma massa.
Divida a massa em oito porções iguais.
Modele cada uma em bifes de hambúrguer.
Aqueça uma frigideira antiaderente.
Pulverize spray de azeite.
Coloque um hambúrguer por vez na frigideira.
Deixe fritar até dourar, vire e retire quando dourar.
Repita o processo com os demais hambúrgueres.
Sirva em seguida.

Dados nutricionais conferidos por Carina Melo, CRN 28117

Fonte: Lucilia Diniz

Leia Mais
Recados

Excesso de Remédios pode causar enxaqueca

bem estar

Sete em cada cem brasileiros convivem diariamente com a dor de cabeça, mas o que muita gente não sabe é que existem mais de 200 tipos de dor de cabeça e elas podem aparecer de muitas formas e muitas vezes.
Com tanta dor de cabeça diferente, não existe só um remédio. O Bem Estar desta segunda-feira (21) convidou duas neurologistas, Maria Eduarda Nobre e Thais Villa, para falar sobre as dores, tratamentos e a diferença entre dor de cabeça e enxaqueca.
Um tipo de dor de cabeça é a cefaleia em salvas. Ela é mais comum em homens e a mais dolorosa das dores de cabeça. A dor é extremamente intensa, geralmente ao redor de um dos olhos e pode se manifestar até oito vezes no mesmo dia. É sempre do mesmo lado da cabeça, a pálpebra cai, o olho fica vermelho e pode lacrimejar.
Em alguns casos, aparece todo ano. Em outros, demoras dois anos, três anos, mas geralmente vem na mesma época. Cada pessoa reage de um jeito. Tem gente que precisa ficar isolada e, de preferência em um lugar bem escuro.
Para quem tem esse tipo de dor de cabeça, analgésico não resolve. É preciso tomar medicamentos específicos, prescritos por um neurologista. Outra alternativa é a inalação de oxigênio. Também existe uma cirurgia para quem sofre de cefaleia em salvas crônica.
Ao contrário da enxaqueca, não existem gatilhos que disparam a cefaleia em salvas, mas existem gatilhos que, no período de crise, pioram a dor.

Dor de cabeça x enxaqueca
A dor de cabeça é sintoma de muitas doenças. Nestes casos, a dor desaparece com o tratamento da doença. Já a enxaqueca não é sintoma, é uma doença que precisa ser tratada. A dor é mais forte e dispara com alguns gatilhos. Sono, estresse, TPM, jejum prolongado, mudança de temperatura, estímulos externos são gatilhos da enxaqueca.
Quem tem enxaqueca tem menor produção de endorfinas, que são analgésicos naturais. O cérebro do ‘enxaquecoso’ processa de forma mais intensa as emoções, sentimentos, dor e estímulos externos. Também é comum quem sofre de enxaqueca ter depressão ou ansiedade por causa dessa maior sensibilidade emocional.

Cem comprimidos por mês
Durante onze anos, o economista Hudson Albinas Derencius sofreu com a enxaqueca. Como ele não sabia o que tinha, tentava tratar a dor se automedicando. Quando ela aparecia, o economista corria para a caixinha de remédio e tomava os analgésicos. Ele chegou a tomar cem comprimidos em um mês.
Hudson não fazia ideia, mas estava arranjando outro problema: a dor de cabeça por uso excessivo de analgésico. “Nosso cérebro produz um analgésico interno, que chama endorfina. Quando tomamos muito analgésico, nosso cérebro se acomoda e para de produzir endorfina”, explica a neurologista Célia Roesler.
O primeiro passo do tratamento foi a desintoxicação. “Além de fazer o tratamento de desintoxicação, que é tirar os analgésicos, a gente começa a tratar a doença, com as medicações preventivas”, fala a neurologista Thais Villa. É um tratamento que vem dando resultados para o Hudson. “Meu humor melhora sem a dor. Consigo me concentrar mais e eu tô animado, feliz”.

Programa Bem Estar – Rede Globo

Leia Mais
Recados

Ministério da Saúde libera vacina do HPV a pessoas de até 26 anos

Nunca se vacinou contra o HPV? Se você tem até 26 anos de idade, esta é sua chance de se proteger do papilomavírus humano, principal causador de câncer de colo de útero: o Ministério da Saúde anunciou, nesta sexta-feira (18), que homens e mulheres entre 15 e 26 anos poderão tomar a vacina pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Atualmente, apenas meninos de 11 a 13 anos e meninas de 9 a 14 estão aptos a receber gratuitamente o medicamento.

Mas corra: a extensão vai valer apenas até acabarem as vacinas que estão atualmente em estoque, que vencem em setembro de 2017. Depois que as reservas chegarem ao fim, a orientação do ministério é que a proteção volte a se concentrar no público mais jovem.

Segundo Ricardo Barros, ministro da Saúde, o objetivo é evitar o desperdício de doses. “Temos realizado, anualmente, campanhas de divulgação na mídia sobre a importância da vacina HPV e vários materiais educativos foram elaborados com esse objetivo. Apesar de todos esses esforços, no entanto, as coberturas vacinais continuam abaixo da meta preconizada de 80%”, disse.

Esquema vacinal

As pessoas de 15 a 26 anos que se vacinarem devem receber três doses, com intervalos de zero, dois e seis meses entre cada. Quem tomar a primeira dose no período em que ainda houver estoque terá direito às outras duas. Para saber onde você pode se vacinar, consulte a secretaria de saúde do seu município.

Fique por dentro: Atitudes que ajudam a afastar o câncer de mama e outros tumores

A importância da imunização

Para se ver longe do HPV, só usar camisinha não basta: é preciso se vacinar! Além de causar câncer no colo do útero, o papilomavírus também pode gerar lesões na vagina, na vulva, na boca, na garganta…

Entenda: HPV: perigo além do útero

O imunizante ainda não protege de todas as cepas do HPV, é verdade. Mas não caia em mitos – ele é seguro. E convenhamos: é melhor se blindar contra os principais tipos do vírus do que estar sujeita a pegar qualquer um, né? Por isso, fica a dica: procure o posto de saúde mais próximo que ainda tenha estoque e vacine-se enquanto dá tempo!

Fonte: Revista Boa Forma – Editora Abril – 2017

Leia Mais
Recados

Sete Superalimentos que Você Não Imaginava Serem Bons Para Emagrecer

07 superalimentos

1. Feijão preto

Além de conter potássio e ácido fólico, é pouco calórico e composto de carboidratos complexos, que demoram mais temo para serem absorvidos, garantindo saciedade.

2. Abacate

A fruta, fonte de gordura monoinsaturada, ômega-9 e fibras, aumenta a sensação de saciedade, reduz a inflamação nas células e controla os níveis de colesterol no sangue. “Também contribui para a formação de músculos e a utilização da gordura estocada como fonte de energia”, conta Rafaella Faria, nutricionista da Estima Nutrição, em São Paulo.

Leia mais: Abacate em defesa das artérias

3. Chocolate amargo

É riquíssimo em antioxidantes que protegem nossas células e aumentam a produção de leptina – o hormônio da saciedade. “Quanto mais amargo, mais intensas são suas propriedades funcionais”, conta Amanda Joanni Maffei, nutricionista da Clínica Fernandes, em São Paulo.

4. Cevada

Por possuir vitaminas do complexo B, auxilia no metabolismo de carboidratos, proteínas e lipídeos. “O cromo em sua composição também controla a vontade de doces”, diz Amanda.

5. Vinho

Uma taça por dia já é suficiente para queimar as gordurinhas. A bebida possui flavonoides que aceleram o metabolismo e estimulam o corpo a utilizar gordura como fonte de energia. “Também contém resveratrol, um polifenol com ação antioxidante que auxilia na eliminação de toxinas, retardando o envelhecimento das células”, conta Rafaella.

Leia mais: Vinho pode ajudar no tratamento de ovários policísticos

6. Café

Com pouquíssimas calorias, estimula a liberação de adrenalina, proporcionando mais energia e auxiliando na queima de gordura durante a atividade física.

7. Feijão branco

Ele bloqueia a absorção do amido, reduzindo o armazenamento de carboidratos em forma de gordura. “Ainda possui fibras que retardam a fome”, conta Amanda.

Revista Boa Forma – Editora Abril

Leia Mais
1 2 3 10